Universidade fora do Brasil: Enem como porta de entrada para estudar no exterior

Fazer uma Universidade fora do país é o sonho de muitos estudantes. Para aqueles que têm esse objetivo, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma porta de entrada. E não apenas a nota atingida no processo seletivo pode ser utilizada, em alguns processos, a exigência é apenas a realização da prova. Em todos os casos, esse é apenas um dos documentos solicitados pelas instituições de ensino estrangeiras.

De acordo com o guidance counselor do Centro Internacional do Grupo Brazil World, Charles Hodges, uma dica importante é que, mesmo se a escolha for a graduação no exterior, os alunos sempre devem fazer o Enem com a mesma dedicação, como se Brasil fosse a primeira opção. “O processo internacional não é garantido e o uso da pontuação do Enem no exterior varia muito de acordo com o país. Alguns, usam a nota. Outros, exigem a realização do exame apenas para mostrar o seu histórico nos exames nacionais. Então, não fazer o Enem prejudica”, orienta.

Estados Unidos, Canadá e Reino Unido na lista de preferências dos estudantes brasileiros

Segundo Hodges, Estados Unidos e Canadá são os países mais procurados pelos estudantes. O terceiro destino mais demandado é o Reino Unido. Independentemente do país de destino, é importante que o interessado sempre busque informações sobre como acontecem os processos seletivos nas universidades do país de interesse. “Além disso, a língua inglesa é primordial. Já encontramos cursos de graduação no Japão sendo lecionados em inglês. Então, para quem está de olho no horizonte internacional, o inglês é sinequanon. Sem essa prática, ficamos limitados”, ressalta.

Outro importante conselho é a busca pela universidade o quanto antes, o que dará a possibilidade de se conhecer o processo seletivo, as exigências e os documentos que são necessários. “As exigências são muitas. Não é apenas a nota do Enem e o inglês. Os alunos precisam ter um currículo de atividades extras que favoreçam o ingresso nesses centros de estudos. Fora do país, é muito valorizado, por exemplo, a prática de esportes, a realização de atividades de cunho social e a participação em olimpíadas do conhecimento”, pontua o gestor pedagógico do Colégio GGE, Tayguara Veloso.

O Colégio GGE oferece o Programa de Graduação no Exterior, oferecido a partir do 9º ano, onde o aluno é conduzido junto com uma equipe de profissionais para aprovação e aceitação na área almejada. “A principal dica é se preparar desde cedo, conhecer as Universidades e os processos seletivos internos. Algumas instituições recebem a nota do Enem, mas, também solicitam carta de apresentação do aluno, cartas de referência e uma série de outros requisitos. Então, ter o apoio de profissionais que entendam do processo dá uma segurança maior”, enfatizou.

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.