O bom desempenho no Enem depende de muitos fatores, mas a qualidade do ensino preparatório costuma exercer uma influência determinante. Os cursos específicos para o exame oferecem conteúdo pensado para o formato das provas, que trazem regras próprias. Estar familiarizado com essas características pode fazer toda a diferença para seleções em universidades mais concorridas, quando qualquer detalhe pode significar o ingresso ou não no curso escolhido.

Risonete Souza, gestora pedagógica do GGE, explica a importância dos cursos preparatórios. “No ensino médio regular, além da preparação para o Enem, há preocupação com o SSA, da UPE, entre outros vestibulares. No Pré-Enem GGE, o conteúdo é focado”, destaca ela. O resultado pode ser observado em anos de bom desempenho dos alunos da instituição, que este ano garantiu 265 aprovações em universidades federais, além da Universidade de Pernambuco (UPE). “Sempre alcançamos excelentes resultados no Enem e, no ano passado, não foi diferente”, avalia.

Segundo a gestora pedagógica, boa parte do mérito do Pré-Enem GGE está nos livros e na equipe. “Nosso material didático é elaborado com excelência por nosso sistema de ensino. Nossos professores e projetos dedicados, como o plantão de dúvidas, a oficina de redação e o RediGGE, também são fundamentais”, explica.

Risonete destaca ainda as turmas direcionadas para a Medicina, curso que merece atenção especial. A aluna Fernanda Beatriz, do pré-medicina da unidade de Caruaru, foi aprovada na Universidade Federal de Pernambuco, campus Caruaru, e reconhece a importância do estudo direcionado. “Tive um apoio muito grande no GGE. Meu nível de aprendizado subiu bastante graças ao formato de abordagem dos assuntos”. Ela, que estudava entre sete e oito horas por dia, credita boa parte desse avanço aos professores e coordenadores. “São muito diferenciados em conteúdo e ensino e os coordenadores estão sempre presentes, apoiando, principalmente, emocionalmente”, conta.

Cecília Mirelle Beltrão, aluna Pré-Enem da unidade Paissandu, também está cursando Medicina no campus de Caruaru da UFPE. Com muita determinação, organizou seus horários de estudos para complementar a grade da escola. “Eu tinha aulas pela manhã, mas fazia monitoria à tarde por conta própria, ainda no GGE. Continuava os estudos à noite, então era o dia todo de preparo”.

Para ela, o que mais chamou a atenção no Pré-Enem também foi o corpo docente. “Acho que o principal diferencial do GGE é a equipe. Os professores são altamente treinados e dão a liberdade de que o aluno precisa para administrar os estudos”, elogia.

Confira a íntegra da matéria no blog NE 10.