O desafio das mães diante das novas rotinas

O isolamento social trouxe diversas mudanças, dúvidas e inseguranças para a rotina das famílias. Com o trabalho transferido para dentro de casa, as mães passaram a ter de lidar simultaneamente com as demandas do trabalho, da casa e dos filhos. A tudo isso, soma-se a rotina das aulas online, que, em alguns casos, requer o monitoramento do que está sendo realizado. Ou seja, é um mundo novo onde os ajustes precisam ser realizados diariamente com muita paciência, tranquilidade e a certeza de que ninguém tem a fórmula, porém, precisamos tentar.

Mas como as mães podem lidar com o aumento da carga mental que a pandemia está causando para as suas famílias?

Primeiro precisamos saber dizer que não conseguimos dar conta. A gente não precisa conseguir tudo. Tem que ter a consciência e a leveza de dizer para o outro que o limite chegou. E, além disso, para quem tem mais de uma criança em casa, tem que entender que será necessário priorizar. Cada um terá seu momento de apoio e não tem nenhum problema nisso. Se a gente se desestabilizar não consegue mostrar a calma que eles precisam e causa uma cobrança na gente cuja pressão passa para eles também. É sentar, explicar e condicionar uma nova forma de ser, porque estamos tendo que aprender no dia a dia”, afirma Liliane Nascimento, psicóloga do Ensino Fundamental da unidade GGE Benfica.

Neste novo momento, ter o apoio da escola para tirar dúvidas, ter uma orientação ou buscar apoio, é essencial. “O impacto da quarentena pode ser minimizada desde que entendamos que não é só pedir ajuda, mas aceitar essa ajuda. A rotina é necessária, fundamental no desenvolvimento da criança”, afirma psicóloga do Ensino Fundamental 1 da unidade GGE Boa Viagem, Maeli Ramos. Segundo ela, neste caso, os pais precisam ter em mente que a rotina pode ser estruturada, mas não pode ser engessada. “Vai ter um dia que a criança vai mostrar que está cansada. A produtividade não será a mesma de uma sala de aula presencial. O que estamos fazendo é uma rotina de emergência. Não podemos deixar de estimular os nossos filhos, mas, a rotina pode ser adaptada diariamente”, pontua.

Essa questão da rotina da casa foi inclusive bastante modificada com o início das aulas online. As crianças que antes estavam presas e sem atividade, agora têm atividades e horários de aula a cumprir. Esse foi, inclusive, um assunto que gerou dúvidas nos pais: será que esse formato vale a pena? Será que meu filho que é do Infantil vai estar de fato aprendendo? As respostas para essas perguntas virão com o tempo. Segundo a gestora pedagógica do Colégio GGE, Anabelle Veloso, o que sabemos é que o estímulo pedagógico precisa continuar.

Fizemos a escolha deste modelo, entendendo que aulas online e ao vivo são as que mais se aproximam do formato da sala de aula. Claro que a interação é diferente, mas é o papel da família interagir e integrar. A realidade é que o computador, o tablet ou o celular se tornaram a nova escola. Então, é muito importante que os pais façam essa adaptação. Que vão mostrando, que vão interagindo. É necessário explicar para a criança a importância daquela atividade e estimular a atenção. A interação é essencial e necessária”, ressalta Anabelle.

Quer saber mais sobre o assunto? O Colégio GGE preparou um vídeo e um podcast sobre o como as mães podem lidar com o aumento da carga mental imposto pelo isolamento social. O bate-papo, intermediado por Moema Duarte (assessora do Colégio GGE), conta com a participação de mães e profissionais de psicologia do GGE. Uma conversa cheia de troca de experiências, que vai lhe ajudar a enfrentar esse momento difícil a que todos estamos passando.

Vídeo

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.