Mesmo em casa, é hora de se movimentar!

O isolamento social modificou por completo a vida de todos. O confinamento imposto pelo combate à COVID-19 transformou as rotinas e limitou as atividades ao ambiente da casa. As adaptações não são fáceis e aí vale um alerta: os exercícios físicos precisam ser mantidos. Segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a prática de exercícios deve ser realizada cinco vezes na semana. Então, mesmo com as atividades limitadas ao ambiente familiar, é preciso (e é possível) reservar um tempo para a realização de atividades.

É importante sempre lembrar que o distanciamento social foi causado por uma doença que acometeu o mundo, e um fator fundamental para resistirmos a esse período é estarmos com um organismo saudável.

Podemos dizer que, neste período, se torna ainda mais necessário ter uma rotina de exercícios físicos, para que possamos manter nossa saúde em um bom estado, pois se não executarmos nenhum tipo de atividade, estaremos inevitavelmente piorando a nossa saúde, luxo ao qual não podemos nos dar”, afirma o coordenador de Esportes da unidade GGE Boa Viagem, Davy Daher.

Segundo Davy Daher, não existe uma recomendação para determinado tipo de treino que possa trazer mais benefícios neste momento. “Baseados na realidade que vivemos e somando ao que estudamos na literatura sobre exercícios físicos, entendemos que é preciso nos manter ativos, e que uma combinação entre estímulos de força e resistência podem preparar melhor o nosso organismo de forma geral”, explica.

Precisamos lembrar que estamos em um momento onde o contato físico deve ser evitado e como grande parte das modalidades esportivas, independente se coletiva ou individual, gera um contato com o outro, ou com um material que ambos manuseiam, as alternativas de treinamento técnico ficam limitadas. Sendo assim, a melhor alternativa é a realização de um treinamento físico, no qual podem manter a forma para desempenhar as demandas físicas da sua modalidade, quando a rotina de treinos puder ser retomada.

Algumas modalidades oferecem possibilidades de continuidade da sua prática virtual, como, por exemplo, o xadrez. Por outro lado, atletas de natação devem se restringir apenas ao treinamento físico, não podendo utilizar a piscina para melhorar a técnica do nado. “Como as modalidades esportivas são muito diferentes, aconselhamos aos atletas que procurem fazer exercícios que estiverem ao seu alcance para no retorno estarem na melhor forma possível para dar continuidade à prática esportiva regular”, orienta Davy Daher.

Uma alternativa bastante utilizada para fazer exercícios fora da academia é usar um aplicativo de celular dedicado à tarefa. Esta é uma opção bastante acessível, mas, independente da escolha, é preciso cuidado na realização dos exercícios para não haver danos. Em suma, especialistas apontam que exercícios de baixo impacto são direcionados para idosos, gestantes e crianças. Para aqueles já acostumados com as atividades físicas, de prática regular, mas que por enquanto não podem ir a academias e parques, a rotina deve começar com alongamento para depois iniciar com as atividades de fortalecimento.

Todas as opções devem ser moldadas pelas restrições do lar, mas, isso não é um impedimento. Que tal usar a criatividade? Dá para substituir os equipamentos normais presentes nas academias com itens que se têm em casa. Pacotes de arroz e feijão e garrafas PET com água podem ser utilizados para exercícios com carga. Toalhas podem se tornar apoios e auxiliar nos alongamentos; Cadeiras e degraus de escada podem também ser aliados. Enfim, são muitas as opções que podem ser utilizadas para ajudar na realização dos exercícios neste momento.

Agora, a realização dos exercícios físicos deve estar sempre associada a uma alimentação balanceada. Em período de isolamento, o excesso de alimentação é um problema. “Vale lembrar que fome é diferente de vontade de comer. É natural que durante esse período de confinamento a ansiedade aumente, e que, pela falta de opções de atividade acabamos tendo mais vontade de comer. Porém, como estamos gastando menos energia nas nossas atividades diárias, é importante nos alimentarmos com opções saudáveis e evitarmos alimentos desnecessários ou pouco nutritivos nesse momento”, alerta Davy Daher.

De acordo com o especialista, outro ponto de suma importância é a hidratação. “Parados podemos ter a sensação de que precisamos menos de água, mas isso não é verdade. Manter-se hidratado é sempre muito importante”, enfatiza Davy Daher. Se ficar em casa é uma necessidade, as atividades podem ser adaptadas e os cuidados com o corpo e a mente devem ser reforçados.

Após todas essas orientações, pedimos ao coordenador de Esportes do GGE Boa Viagem, Davy Daher, para dar algumas dicas de exercícios que podem ser feitos em casa, com o objetivo de movimentar o corpo de toda a família. Ele preparou dois planos de treino (A e B). Quer ver como é fácil e divertido? Acompanhe essas dicas nos vídeos a seguir e não fique parado!

PLANO A

PLANO B

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.