Férias: como conciliar o período de descanso e manter o ritmo de estudos?

Memória ativa, responsabilidade e organização estão entre os benefícios proporcionados pela prática do estudo diário

É comum que os estudantes associem as férias a um período exclusivo de descanso e lazer. De acordo com os especialistas, o tempo de descanso, incluindo até a ociosidade, são importantes para o melhor rendimento humano. Porém, também é possível desenvolver nesse período o hábito saudável de estudar um pouco todos os dias, criando uma rotina equilibrada e produtiva. Especialmente, para os vestibulandos, o estudo diário, desde que conduzido da maneira correta, pode trazer benefícios.

O estudo nas férias não precisa ser árduo como no período letivo. Dedicar um tempo para revisar ou aprender novos conteúdos fará com o que o estudante não perca o ritmo e tenha um retorno mais tranquilo às aulas, sempre respeitando que a pausa é um momento de descanso para a mente e para o corpo. A gestora pedagógica do colégio GGE, Anabelle Veloso, orienta os pais e responsáveis sobre o assunto. “Durante o período de férias, não há problema em promover estímulos pedagógicos para os estudantes se respeitadas algumas premissas, como: garantir algum tempo ocioso, fundamental para o descanso da mente; respeitar o interesse do aluno, seja criança ou adolescente; e propor atividades que saiam da rotina para que o aluno se motive e adote o momento dos estudos como uma prática prazerosa”, explica.

A especialista reforça ainda que é necessário levar em consideração os interesses individuais e as particularidades de cada faixa etária no que se refere ao processo de aprendizagem:

No caso de crianças, é indispensável registrar que os estímulos precisam ser lúdicos e diversificados. Jogos, brincadeiras e contação de histórias são os melhores recursos. Se puderem ser em grupo é ainda melhor, pois promoverão também interação entre as crianças, incentivando, portanto, a relação entre elas. No caso dos adolescentes já não é mais a brincadeira que chama atenção e é preciso descobrir o foco de interesse. No caso deles, promover passeios culturais pode ser um grande recurso. Nessa faixa etária, eles gostam de fotos e registros das visitas, portanto, museus, bibliotecas, espaços culturais e pontos turísticos podem fazer parte do roteiro e agregar o que eles gostam a um enriquecimento cultural importante”.

Para todas as idades, a gestora pedagógica enfatiza que a leitura deve ser priorizada como prática indispensável para o processo de aprendizagem. “Durante as férias, levar os filhos à livraria para escolher um livro que eles gostem é um hábito importante de ser cultivado. Ou mesmo, presentear o filho com um livro que os pais leram durante a fase de infância ou adolescência e foi marcante para eles são boas dicas”, finalizou.

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.