Como o ensino integral pode ser a melhor solução para mães que trabalham

A chegada de uma criança muda completamente a rotina familiar. Os afazeres se multiplicam a cada fase. E é por isso que, ao voltar para a rotina de trabalho fora de casa, muitas mães passam a se sentir culpadas pela distância diária do filho e a questionar se vale a pena estar onde estão. É um sentimento de culpa e uma cobrança constantes, mas que podem ser minimizados quando se tem a tranquilidade de que os filhos estão sendo tão bem cuidados quando você está fora, como quando como você está presente.

As mães carregam consigo uma lembrança simbiótica do período de gestação em que todos os cuidados físicos e alimentares eram de sua responsabilidade. Culturalmente, essa responsabilidade é absorvida em maior dimensão pelas mães do que pelos pais. Então, a decisão de afastar-se dos filhos para trabalhar, muitas vezes, é entendida como uma priorização da realização profissional ou até mesmo ao dinheiro em detrimento da dedicação ao filho. Sim, mesmo nos dias de hoje, em que a independência da mulher é tão debatida e incentivada, este ainda é um posicionamento comum. As mulheres ainda se sentem culpadas e resgatam a relação simbiótica como um reforço à culpa por não estarem oferecendo aos filhos a atenção e dedicação que eles necessitam.

Para fugir desse “efeito colateral” chamado culpa, as mães precisam fazer uso da organização. É preciso oferecer às crianças uma estrutura que garanta à mãe (ao pai também, mas, nesse caso, prioritariamente, à mãe, que é quem se culpa mais) a confiança de bem-estar e a segurança do seu filho. Essa estrutura poderá ser em casa, como em algum tempo obrigatoriamente é, e depois poderá ser em hotelzinho/creche ou escola. Essas decisões precisarão partir do planejamento familiar, através do qual os pais poderão analisar o momento mais adequado para essas mudanças na rotina da criança.

“Normalmente, a culpa vem quando algo não dá certo, por isso, o planejamento precisa levar em conta muito aspectos, dentre eles, os imprevistos. Ou seja, é preciso que as mães tenham plano A, plano B e, possivelmente, plano C, para que, diante de qualquer situação, outras estratégias possam ser utilizadas”, pontua a gestora pedagógica do a Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 do GGE, Anabelle Veloso.

O domínio da rotina dos filhos, ou o gerenciamento da vida deles, precisa estar sempre com o comando da mãe, esteja ela em casa ou trabalhando fora. Elas podem não estar presentes todo o tempo porque precisam se ausentar para trabalhar, mas precisam passar a determinação de como a rotina deve ser desenvolvida a fim de que seja dela a decisão sobre horários, alimentação e tantas outras atividades e imprevistos que ocorrem durante o dia da criança.

Contar com uma rede de apoio para o cuidado da criança pode ser uma saída para diminuir a culpa materna e a escola pode oferecer uma solução completa para os pais que passam por essa situação. É claro que, para garantir a confiança necessária às mães, a escola precisa atuar em parceria. A comunicação diária é a principal forma de estreitamento do relacionamento escolar com a mãe. É muito importante que a escola crie uma ferramenta eficiente para repassar informações sobre a rotina da criança, sobre a alimentação, sobre a aprendizagem e sobre qualquer fato relevante que tenha ocorrido com a criança durante o dia.

“Essas informações são muito importantes para que as mães acompanhem o desenvolvimento, entendam a rotina, possam utilizar as informações fornecidas para interagir com os filhos e possam também oferecer sugestões à escola”, diz Anabelle Veloso.

Uma opção mais completa e que está sendo a alternativa de muitos pais é o ensino integral. Além do trabalho pedagógico, no ensino integral são oferecidas diversas atividades que desenvolvem habilidades de socialização na criança, que incluem a comunicação, a empatia e o respeito pelas diferenças. Além disso, os pequenos podem ainda participar de atividades esportivas, ter acesso a acompanhamento nutricional e até mesmo aprender um novo idioma.

Quer conhecer depoimentos de mães que trabalham fora e entender melhor sobre como a escola pode lhe ajudar a se aproximar mais da educação de seu filho? Baixe nosso e-book e boa leitura!

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.