Enem traz gramática nas entrelinhas e foca em funções de linguagem

Tem gente que pensa que não é mais necessário estudar gramática, afinal, “nem cai no Enem”. Mas a verdade é que o Exame Nacional do Ensino Médio tem muitas sutilezas e esta é uma delas. “A norma culta corresponde a 200 dos 1000 pontos da redação, o erro mais recorrente dos candidatos”, disse a professora de Língua Portuguesa do Colégio GGE, Katilini Oliveira, que dá as dicas de hoje no Blog do Enem.

Mas a verdade é que a gramática, por si só, acaba mesmo sendo uma figurante na prova do Enem, o que não significa, enfatiza Katilini, que não seja cobrada uma questão de sintaxe. “Já aconteceu, mas não da maneira tradicional, do “classifique”, do “certo ou errado” com relação à concordância, à regência”, aponta.

A professora comenta que o foco do Enem está nas funções de linguagem, figuras de linguagem que ajudam muito na interpretação de textos literários. “É onde os alunos têm mais dificuldades. Às vezes o texto é enorme e o menino faz a questão rapidinho, mas com um poema com quatro versos, ele perde um tempão porque precisa dessas figuras estilísticas”, argumenta Katilini. Ela reforça a importância do assunto para a prova e para o cotidiano. “Todo dia a gente tem um telefone, uma mensagem no WhatsApp, a gente dá um conselho a alguém ou contamos uma história. Os gêneros estão na nossa vida”.

Confira as dicas de gramática da professora Katilini:

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Aproveite e veja também