No dia 22 de março, nossos alunos das Turmas Olímpicas participaram da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Biologia – OBB 2019. As provas foram aplicadas nas unidades Aldeia, Boa Viagem, Caruaru e Paissandu. Na edição anterior, a nossa aluna Catarina Alves (3º ano do Ensino Médio) recebeu a sua MEDALHA DE BRONZE conquistada na ETAPA NACIONAL da OBB 2018. 

A Olimpíada Brasileira de Biologia foi fundada em 2004 pela Associação de Biossegurança (ANBio) e em 2017 passou a ser organizada pelo Instituto Butantan, sendo destinada para estudantes do Ensino Médio. Os principais objetivos da olimpíada são estimular o interesse ativo em estudos biológicos e aproximar a universidade do ensino médio de biologia, diminuindo o tempo de defasagem entre as inovações científico-tecnológicas e sua divulgação aos estudantes de nível médio.

A OBB tem três fases:

– 1ª Fase: é uma prova composta por 30 testes de múltipla-escolha, abordando todo o conteúdo programático disponibilizado no site, com caráter classificatório;

– 2ª Fase: é uma prova contendo 100 testes de múltipla-escolha com o mesmo conteúdo da 1ª fase, sendo que apenas os 15 primeiros colocados poderão participar da fase seguinte, que ocorrerá no Instituto Butantan;

– 3ª Fase: os alunos classificados serão capacitados e avaliados nas atividades práticas por uma equipe formada por pesquisadores e educadores do Instituto Butantan. Essa avaliação corresponderá a 50% da nota final da 3ª fase e depois os alunos farão uma prova com 20 questões de múltipla-escolha, elaborada pela equipe Butantan.

Os quatro primeiros lugares da OBB 2019 serão selecionados para representar o Brasil na XXX Olimpíada Internacional de Biologia – IBO, que ocorrerá na Hungria; os alunos que conquistarem da quinta a oitava posição na OBB 2019 serão selecionados para representar o Brasil na XIII Olimpíada Ibero-Americana de Biologia – OIAB, que acontecerá na Bolívia; Já os 9ª e 10ª lugares serão escolhidos como suplentes, no caso de algum dos classificados finais não poder participar das olimpíadas internacionais.

Desejamos boa sorte aos participantes da OBB 2019 e convidamos a todos para conhecerem um pouco mais sobre as Turmas Olímpicas GGE:

TURMA OLÍMPICA GGE

Uma das muitas maneiras de fazer com que crianças e adolescentes aprendam mais e melhor o conteúdo visto em sala de aula são as chamadas Olimpíadas Científicas ou Olimpíadas do Conhecimento. Neste tipo de competição, estudantes do ensino fundamental e médio disputam, como representantes de suas escolas, quem domina mais os temas ligados a disciplinas como física, matemática e química.

Esse tipo de atividade é extremamente importante porque faz com que o aluno desenvolva a velocidade de raciocínio e esteja em contato com conteúdos relevantes para o futuro acadêmico. “O aluno medalhista em uma olimpíada de conhecimentos acaba tendo facilidade geral com as disciplinas e, por isso, muito provavelmente terá ótimo desempenho no Enem e em outros vestibulares, por exemplo”, explica Jorge William, sócio-diretor do Colégio GGE.

Ele conta que a participação e premiação em eventos como a Olimpíada Brasileira de Química (OBQ) e a Olimpíada Brasileira de Física (OBF) funcionam também como um “passaporte” no currículo caso o aluno caso queira cursar universidade no exterior, já que as instituições mais conceituadas veem com bons olhos os alunos que participam de olimpíadas e demais atividades extracurriculares.

Para participar das olimpíadas, o estudante precisa contar com reforço no ensino da disciplina da competição. Se o objetivo for concorrer a uma disputa de matemática, por exemplo, ele precisará dedicar aos assuntos relacionados à área algumas horas semanais a mais do que as já previstas no currículo regular. Neste processo, o apoio da escola e dos pais é muito importante, já que a o jovem precisará focar bem o seu objetivo. Incentivo, ajuda na organização do plano de estudo e elogios pela dedicação do estudante são muito bem-vindos.

“Professores experientes fazem toda a diferença. Sempre converso com os pais no início do ano letivo, para que entendam o processo, destacando as vantagens da atividade para a vida escolar do filho, abrindo possibilidades até para uma carreira internacional”, complementa Jorge William.

E assim como para os grandes atletas, a rede de suporte para o estudante pode incluir ainda o auxílio de um psicólogo. O profissional pode auxiliar na organização da rotina diária e dar o suporte emocional necessário ao longo da preparação para a disputa.

Gostou? Então, deixe seu cadastro para fazer parte da Turma Olímpica GGE! Aproveite e veja também as fotos de nossos alunos na 1ª fase da OBB 2019:

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.