A ressocialização das crianças durante o ensino remoto

Após passar o ano de 2020 com aulas online, as escolas foram liberadas para retornar ao regime presencial este ano. Entretanto, com um número ainda alto de casos de Covid-19 no país, alguns pais não estão seguros em levar seus filhos de volta às salas de aula e preferem continuar com a opção do ensino remoto.

Com esta decisão, as crianças vão passando um grande período privadas do convívio com colegas, professores, outros membros da família e também o ambiente escolar, uma vez que, grande parte do seu tempo, elas ficam em casa com os pais ou um responsável.

Já que não existe ainda uma data específica para que toda pandemia esteja controlada, as escolas precisam realizar um planejamento, para que os alunos que permanecem em isolamento social, não recebam um aprendizado diferente dos que estão de volta ao presencial, pois este é um momento da vida em que as experiências físicas e as interações sociais são muito importantes para o desenvolvimento emocional.

E foi com este cuidado, que desenvolvemos um planejamento de ensino para que as crianças pudessem partilhar das mesmas experiências, independente do regime que elas se encontrem neste momento.

“Nós entendemos a importância da socialização nesta fase da infância, mas também compreendemos totalmente os pais que ainda estão apreensivos com a pandemia e preferem que seus filhos continuem em casa. Desta forma, a equipe do GGE montou um planejamento, onde conseguimos trazer aqueles alunos que estão online para um ambiente que seja possível que eles trabalhem a ressocialização e não sintam estranhamento quando retornarem ao presencial”, explanou Nayana Paiva, gestora pedagógica.

Para que esta ressocialização ocorra, os professores ministram as aulas online dentro da verdadeira sala do aluno, simultaneamente com a aula presencial, para que os alunos possam ver seus colegas dentro da sala e seus colegas também possam visualizar os alunos que estão em casa. Além disso, existem momentos do dia, onde os professores colocam os alunos para conversarem entre si, projetando a imagem de todos os alunos que estão no regime remoto, em sala de aula, podendo realizar brincadeiras, participar do parabéns dos aniversariantes e realizar tarefas em grupo.

Desta forma, os alunos passam a conhecer e criar laços com seu professor, seus colegas de turma e ficam habituados ao ambiente da sala de aula, mantendo a conexão com a escola e os colegas, em regimes de ensino diferentes, mas com a mesma intensidade.

“Também vale ressaltar que os outros projetos, como a catequese, a robótica, as aulas de reforço, o resgate pedagógico, todos eles estão sendo disponibilizados também na modalidade virtual, de maneira simultânea, para que nenhum aluno fique de fora e que a todo momento, eles se vejam envolvidos neste cenário juntos, tanto quem está no presencial, como quem estiver no ambiente virtual”, concluiu a gestora.

A equipe do GGE construiu com muito carinho este planejamento, com o objetivo de minimizar os impactos que o isolamento venha a causar e estimulando a ressocialização e relações afetivas entre os colegas e o ambiente escolar, que também é como uma família para a criança.

Fonte: Blog do Wagner Gil

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.