A importância da leitura para crianças e jovens

Descobrir novos mundos, conhecer personagens, estimular a criatividade. Essas são algumas habilidades que podem ser desenvolvidas através da leitura. O hábito de ler deve ser cultivado no dia a dia das crianças para se tornar uma rotina comum e familiar. Porém, uma dúvida frequente dos pais é sobre a idade em que devemos começar a introdução no universo das histórias. A resposta é simples: quanto antes o estímulo for iniciado, mais fácil do interesse ser despertado e da prática ser inserida no dia a dia da criança.

Vale ressaltar que os pequenos geralmente aprendem a ler por volta dos cinco anos, mas precisam ser inseridos no mundo da leitura antes dessa idade. Para isso, devemos aproveitar o comportamento infantil natural de observação e imitação das atitudes dos pais, além de relacionar a atividade a outras já inseridas na rotina da criança. Entre as estratégias que podem ser utilizadas neste sentido é o de deixar que as crianças escolham o que desejam ler.

A leitura é um insight. É um despertar. É muito importante que antes mesmo deste despertar para as letras, as crianças já estejam inseridas neste universo e uma das formas é, justamente, as deixando escolher, selecionar livros e histórias. Assim, elas perceberão que por trás daqueles desenhos e formas há um código e que os mais velhos conseguem decifrá-los”, afirma a gestora da Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 do GGE Boa Viagem, Nayana de Paiva.

A gestora reforça ainda a influência do exemplo para a formação de novos leitores.

O hábito de ler é um valor da família. Ainda que os pais não tenham esse hábito é importante que reforcem o orgulho que sentem do filho estar lendo para que eles entendam que não é um mecanismo tão simples de ser realizado e que quanto mais ele ler, mais fluente ele estará”, orienta.

Deixar que a criança, independentemente da faixa etária, escolha o que irá ler ajuda a despertar o interesse da leitura, mas essa escolha precisa ser estimulada pelos pais.

Invista na qualidade da escolha. É muito importante permitir que o jovem escolha seus livros de acordo com seus gostos. Oportunizar um momento em família para passeio e aquisição desses livros também é um excelente incentivador. A leitura de um livro que virou filme, além de revistinhas e HQs adequadas à faixa etária fazem muito sucesso, por exemplo”, pontua a gestora do Ensino Fundamental 2 do GGE Boa Viagem, Nathália Figueiredo.

Segundo ela, para escolher o livro adequado para a criança ou para o adolescente é importante levar em conta a idade, os seus interesses e o que pode ser estimulado nesta fase.

O livro certo vai incentivar o prazer da leitura, enriquecer o vocabulário e o repertório, estimular o raciocínio e a capacidade de interpretação”, enfatiza.

No Colégio GGE, um dos projetos desenvolvidos para estimular o hábito da leitura é a Ciranda Literária, voltada para as turminhas da Educação Infantil e Ensino Fundamental 1. Durante todo o ano letivo são realizadas trocas de livros entre os alunos, contação de histórias (momento de descontração onde os alunos passam a fazer parte da história) e vivências de livros (com discussão acerca do livro indicado). Todas as ações são planejadas de acordo com a faixa etária e com os temas abordados em sala de aula. Para isso, a capacitação e constante atualização dos professores são essenciais.

O cuidado na escolha de títulos que sejam atrativos às crianças, bem como o estímulo à leitura por parte de professores e família são cruciais ao andamento do projeto. Trazer esse movimento para a escola é extremamente importante, pois contamos com o fator da coletividade. Quando bem direcionados, os alunos se sentem mais engajados e confortáveis com esse movimento”, diz Nayana de Paiva.

Para as turmas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental 2, a equipe de Língua Portuguesa desenvolveu propostas de trabalho no anseio de aproximar o estudante da prática da leitura. Assim, eles são estimulados a realizarem a leitura de um livro por unidade, totalizando quatro livros durante o ano. Em cada unidade, o livro escolhido, além de trabalhado em sala de aula juntamente com os professores de Língua Portuguesa, são temas de uma prova com conteúdo exclusivo da história. Por fim, os jovens apresentam um trabalho relacionado ao tema abordado em cada um dos livros.

De acordo com Nathália Figueiredo, a participação em clubes de livros também é uma forma de estimular a leitura, oferecendo a oportunidade do aluno conhecer pessoas com gostos literários diferentes e sair da zona de conforto, já que muito provavelmente haverá a indicação de novos autores e categorias.

Sempre que falamos e conversamos sobre o que lemos, a retenção do que foi lido aumenta, então se você tem problemas de lembrar o que acabou de ler, conversar com alguém é uma ótima atividade para estimular a memória e o aprendizado”, detalha.

É importante ressaltar também que a tecnologia pode ser uma forte aliada para inserir nossos jovens no mundo da leitura. Muitos aplicativos e programas tem o objetivo principal de estimular as crianças e jovens a lerem mais e a buscar novas fontes de informações. Cabe aos pais orientar o melhor uso dessas ferramentas e proporcionar momentos de descontração em família, estimulando seus filhos a treinar o mecanismo de leitura e interpretação. Independente ser for através de livros, mangás, quadrinhos, e-books, tablets ou celulares, o que importa é fazer com que ler se torne um hábito saudável e prazeroso para as nossas crianças e jovens.

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.